Filmes apocalípticos sempre me despertaram grande interesse, ainda mais aqueles que passam a ser comentados nas redes sociais. Quando Bird Box estreou na Netflix, uma grande parte da internet passou a falar a respeito do novo trabalho da vencedora do Oscar,  Sandra Bullock.

Mas, confesso que demorei certo tempo para ver se todas as pessoas estavam certas ou não. Na minha opinião, um filme apocalíptico para ser bom, depende de muitas coisas, como por exemplo: um bom roteiro, uma boa direção, um bom elenco e uma bela fotografia.

E nesse último quesito, Bird Box conta com belas imagens. O elenco também é estelar, como disse acima, Bird Box ou Caixa de Pássaros conta com Sandra Bullock e John Malkovich, este último, um ator consagrado e que comprova a qualidade de qualquer filme.

Bird Box Netflix – sinopse

Malorie (Sandra Bullock) e seus filhos precisam chegar a um refúgio para escapar de alguns seres, supostamente, alienígenas que, ao serem observados, levam alguns tipos de pessoas ao suicídio. Por isso, a necessidade de andar as cegas com uma venda nos olhos para não correr o risco de ter o mesmo fim que grande parte da humanidade. O problema é que, algumas pessoas se matam, enquanto outras, ficam a serviço dos estranhos seres e tímidos seres que não aparecem.

Bird Box e minhas primeiras impressões

O filme começa muito bem e indica um filme eletrizante que prenderá sua atenção do início ao fim. Tudo começa com uma matéria em um noticiário falando a respeito do suicídio em massa que acontece na Rússia. E que se espalha pelo mundo rapidamente, quando o estranho fenômeno passa acontecer nos Estados Unidos, as imagens são impressionantes.

As cenas das pessoas correndo de um lado para outro enquanto outras, passam a se matar e a vagar pelas ruas como se estivessem sonâmbulos é fantástica. Nesse meio caótico, está Malorie (Sandra Bullock) e sua irmã voltando para casa depois da ultrassonografia. Malorie parece não gostar de sua gravidez e a atual cena do país é propicia para dar-lhe razão.

A irmã de Malorie acaba surtando e dá início a um passeio desgovernado pelas ruas da cidade, até se chocar e cabotar o carro, por sorte, nenhuma das duas se feriram gravemente do acidente, pelo menos até a irmã de Malorie confrontar uma das criaturas sem rosto.

No meio de uma louca e desenfreada corrida para sobreviver, uma mulher vê Malorie caída no chão e, devido sua gravidez, decide ajuda-la. Seu marido, Douglas (John Malkovitch) tenta persuadi-la a não ir, mas ela acaba desobedecendo ao marido e sua morte é uma das mais interessantes do filme.

Bird Box e sua direção

Até esse momento, o filme realmente parece um suspense daqueles de tirar o fôlego, mesmo não mostrando a cara das criaturas. Você se empolga com o início, mas, infelizmente, a diretora, Suzanne Bier, decidiu manter as características do livro. O que, na minha opinião, foi o que tornou Bird Box um filme que divide opiniões.

Um suspense para nos prender na cadeira, para nos arrancar emoções e aflição, tem que ser muito bem dirigido. Os fatos devem ir acontecendo como as peças de um dominó quando montadas um na frente da outra, infelizmente, algo que não acontece em Bird Box.

Por exemplo, de repente lá está Malorie passando alguns perrengues terríveis dentro daquela casa, subitamente, o quadro altera para ela e os filhos no rio, o que não tem fortes emoções como um suspense pede. Claro, acontece alguma coisa ou outra, mesmo assim, nada de surpreendente.

Acho que essas alternações de cenas foi um grande erro da diretora, pois o telespectador não consegue se transportar para o papel da protagonista, justamente por essa jogada. E como acontece com uma frequência relativamente exagerada, o filme acaba não prendendo, mas sim, dispersando por causa de suas idas e vindas.

Bird Box

Vamos pegar o começo: lá está Malorie e sua irmã, ela capota o carro e Malorie sai desnorteada pelo susto e fica ainda pior quando vê sua irmã sendo morta. Até esse ponto, já rolou uma porrada de ação, mas, subitamente, lá está ela, com a venda nos olhos e tentando remar em um rio que não pode enxergar.

Ela tem um encontro ou outro com alguns personagens inesperados no rio, porém, nenhum deles a ponto de realmente nos deixar aflitos e apreensivos, com a exceção de um, nas demais inserções, é apenas ela, os garotos e o som do rio. Os filmes montados desta maneira, podem até funcionar, no entanto, é preciso saber trabalhar ambas as partes, caso contrário, os resultados podem ser catastróficos.

Bird Box e a atuação de Sandra Bullock

O filme, apesar da jogada de tempo, conta com um roteiro tenso e, tensão é algo que podemos acompanhar nos olhos e nas falas de Sandra Bullock durante o filme inteiro. Particularmente, em alguns momentos, Malorie nos faz refletir se ela seria uma boa mãe ou não, começando por não dar nome às crianças, chamando-os de: garoto e garota.

Bom, mãe é mãe em quaisquer circunstâncias, não é verdade? Mas a impressão que Malorie passa é que pode perder os filhos a qualquer momento e que precisa ficar preparada o tempo inteiro para tal fatalidade e, para se proteger, tenta não aprofundar os vínculos chamando-os pela distinção de gêneros.

Particularmente, acho que houve um exagero na austeridade da personagem de Sandra Bullock que, vale destacar, é uma das produtoras do filme. Segundo sites, ela quis mexer em seu texto, mas provavelmente não conseguiu.

Bird Box e seu elenco

No elenco de Bird Box contamos com atores premiados pelo Oscar, começando por Sandra Bullock, temos também, Trevante Rhodes que levou a estatueta para casa por causa de Moonlight, John Malkovich que já foi indicado ao Oscar por dois de seus trabalhos, Sarah Paulson, vencedora do Globo de Ouro, entre outros.

Bird Box

Os atores contam com uma química bem interessante e que funciona muito bem. Claro que, John Malkovich acaba sendo uma estrela desperdiçada que poderia ter um papel mais significativo, mas ele brilha até mesmo como coadjuvante. Sandra Bullock, achei tensa demais até mesmo em situações que não precisava tanto e outra, o instinto materno, ao meu ver, deveria sobressair.

Bird Box e o livro

Por ser escritor, sempre compro livros que não lerei tão já, Bird Box ou a Caixa de Pássaros, foi um deles. Com a chegada do filme, quis ler primeiro à história para depois assistir a produção. E, o livro me decepcionou um pouco devido a qualidade de escrita.

Bird Box foi escrito por Josh Malerman, estrela do grupo The High Strung, algo que pode explicar o lançamento de seus livros. Achei uma leitura fraca e acredito que, o autor conseguiu devido a sua relação com a música e também, pela ideia do livro, apesar que, se formos analisar, podemos encontrar filmes que sugerem esse caminho.

Bird Box Credito: Saeed Adyani/Netflix

Como o filme, o livro vai de um lado a outra na narrativa. Claro que o autor não se perde, mesmo assim, dá uma esquentada no leitor e depois uma esfriada. É possível trabalhar em livros onde não se segue uma sucessão dos acontecimentos, no entanto, é preciso muita experiência para manter o ritmo durante o tempo da obra. Algo que também não funcionou.

Já li muitos autores nacionais e, acreditem, alguns livros são bem melhores e mais agradáveis de serem lidos, mas, por ter se tornado um destaque nas mídias sociais, Bird Box se tornou um best-seller e ainda, um filme disponível no maior sistema de streaming do mundo, a Netflix, mas, particularmente, tanto o livro quanto o filme, poderiam seguir um rumo diferente.

Mas, tirando isso, Bird Box é um filme interessante de ser assistido e também de ser lido, é um livro de frases rápidas, tensas, que, particularmente, não envolve como um livro deveria envolver. Minha grande indignação com o filme é o fato de não mostrar as criaturas ou explica-las de alguma maneira, deixando a história com aquela interrogação.

Várias teorias surgiram na internet a respeito desses seres, muitos acreditam, mediante aos desenhos que surgem em determinado momento, ser inspirado nos monstros criados pelo mestre H.P. Lovecraft, entre eles, o Cthulhu que é um ser tão inimaginável que, somente a sua visão deixaria qualquer um louco. Agora, se é verdade ou não, somente o autor poderá nos responder com certeza.