Meus heróis morreram de overdose… Bom, muitos deles não morreram de overdose e, particularmente, para mim, heróis na verdade são aqueles que salvam vidas e vestem cuecas sobre as calças, claro que não são todos, mas a maioria tem essa particular predisposição para readequar a ordem de seu vestuário.

Cazuza disse à frase que inicio essa crônica, mas, infelizmente, meus heróis realmente morreram de overdose, mas não de alguma droga especifica, mas sim, uma overdose de falta de cuidado.

É aquele caso: as pessoas geralmente acham que certos fatos ruins não acontecerão com elas, bom, pelo menos até o momento que acontece. É aquela ideia de viver a vida com intensidade, mas com moderação, como dizem por aí e como estamos carecas de ouvir: é preciso viver um dia de cada vez.

Bohemian Rhapsody é um filme para ser celebrado

Infelizmente, algumas estrelas acabaram ficando deslumbradas com seu próprio brilho e brilharam com toda intensidade que podiam, até se tornarem uma supernova e explodirem em um espaço negro, vazio e repleto de saudades.

Depois de muitos dias ansiosos, eis que finalmente assisto Bohemian Rhapsody. Estava esperando o DVD e as cenas deletadas e tudo mais que um Blu-ray pode trazer de novidades, mas, ao perceber que o filme estava liberado na internet com uma qualidade razoável, acabei não resistindo e fui conferir uma das maiores produções do ano.

Claro, não esperava ver a história verdadeira por trás do Queen e muito menos de Freddie Mercury, afinal de contas, não dá para contar a trajetória de uma banda desse porte em alguns minutos.

Bohemian Rhapsody, grande destaque do Oscar 2019

E sobre essa questão, já andei pesquisando pela internet e, segundo leitores da biografia oficial da banda, existem diversas discrepâncias entre o filme e a história real, mas, até aí… Nada mais que esperado, afinal de contas, para quem assistiu Forrest Gump e leu o livro, sabe o que estou dizendo.

Acredito que tudo isso pode ser uma questão da mídia que tais produções são dirigidas, por exemplo, os livros servem para informar e o cinema, para entreter, por isso as adaptações, adequações e readequações em determinados personagens.

E isso acontece o tempo inteiro. Livre dessa possibilidade, somente os roteiros originais. Mas, não esperava por ver uma biografia fiel, mas sim uma pincelada pela realidade da banda e do artista que encantou o mundo inteiro com sua voz, claro que algumas coisas passam longe da verdade, mas em alguns pontos…

Bohemian Rhapsody abre portas para cinebiografias

Independente disso, biografias são sempre bem-vindas, pois, ao menos para mim, mostram que a vida de estrelas consagradas não foram fáceis, que lutaram para chegar onde chegaram, tudo bem que algumas tiveram um pouco de sorte, mas quando se caminha em direção ao amanhã, a sorte é apenas uma nova estação em nossa caminhada.

Fiquei deslumbrado com o filme, achei um ótimo trabalho e a atuação de Rami Malek extremamente encantadora, claro que os demais atores também merecem aplausos, mas, como em uma banda de rock de verdade, o vocalista sempre é o primeiro a roubar a cena e toda atenção. É uma biografia que vale a pena assistir?

Em minha opinião sim e ainda destaco a presença de Mike Myers na pele de Ray Foster. O comediante até mesmo no filme do Queen conseguiu levar as suas piadas, no momento em que a banda faz questão do single “Bohemian Rhapsody”, Ray, diz: vocês esperam que garotos dirijam seus carros balançando suas cabeças ao som dessa música?

Bohemian Rhapsody um filme novo que se torna clássico

Claro que a frase não é exatamente essa, mas é por aí e, o próprio Mike Myers realizou essa proeza de ouvir a canção balançando sua cabeça no Quanto mais idiota melhor.

Para encerrar, infelizmente, meus heróis morreram pelo exagero, por não viverem suas vidas com cuidado. É uma pena? Sim, mas são pessoas que se tornaram lendas, que jamais deixaram de estar entre nós devido ao que trouxeram ao mundo.

Pessoas como: Freddie Mercury, Cazuza, Raul Seixas, Renato Russo, Jim Morrison e tantos outros astros que viveram suas vidas em alta velocidade e por mais que tenham anos que não criam nada de novo, suas canções continuam sendo cantadas, apreciadas e vivas na mente de seus contemporâneos e daqueles que ainda virão.