Com certeza, uma hora vão sentir sua falta

Compartilhe agora mesmo

Ninguém viu exatamente quando suas luzes finalmente se apagaram, infelizmente, esse tipo de morte não acontece por acaso. Ele não estava doente e muito menos hospitalizado, pelo contrário, gozava de boa saúde, todos que o conheciam e o notavam, sabiam de sua posição e de seu estado de espirito, sempre observando, atento para tudo que passava por ele. Até o fatídico dia do assassinato, tudo bem que acidentes acontecem, mas quando existe vítima fatal é um tipo de assassinato, não é mesmo?
Com certeza seus vizinhos se importarão, os responsáveis por ele, se lamentarão, mas as demais pessoas que apenas passam, mal pensarão por que está ali daquela forma. Alguns passarão por cima e até tentarão levar algum souvenir para recordar. Parece que ninguém se importa com aquele infeliz que até ontem, teve alguma utilidade para todos que estiveram próximos, mas hoje, depois da enorme queda… Apenas olham e seguem suas vidas adiante.
É um descaso, provavelmente passará muitos dias ali, estirado no chão, talvez ainda agonizante pelos ligamentos de sua estrutura corpórea e, mesmo com uma possível semivida, ninguém se importará em tentar chamar alguém para poder socorrê-la e, quem sabe, colocá-lo de volta em circulação, mas, é a vida, alguns partem e outros são colocados em seus lugares. Com certeza ninguém perceberá a mudança e aqueles que perceberem, não darão muito atenção. 
Por isso, nada melhor do que escrever em homenagem ao infeliz assassinado, nada mais justo do que levantar a questão e postar para que todos leiam e que, ao se deparar com algo assim, se perguntem o que derrubou tão alto exemplo de iluminação… Em um mundo como o nosso, ainda mais com essa onda de roubos e abusos, nada melhor do que algo para iluminar nossos caminhos, para seguirmos de volta e com segurança para nossos lares. Não é verdade?
Pois é, mesmo assim, ninguém reflete a respeito… Tudo bem não perguntar o porquê do ocorrido, algumas pessoas preferem ser discretas ao ponto de simplesmente parecerem frias, mas elas não se importam, não ligam, aliás, quando percebem uma morte tão de perto, elas observam a cena do crime, especulam o porquê e buscam provas de suas conjecturas como se fossem hábeis Sherlock Holmes, não é mesmo, meu caro Watson?
Eu passei de manhã e o corpo estava lá estirado, passei a tarde para ir à farmácia e lá continuava com o sol ardendo sobre seu frágil corpo, agora a noite, precisei voltar à rua e adivinhem… Isso mesmo, ele continuava lá e as pessoas voltando de seus trabalhos, outras fazendo cooper, mal davam falta da presença importante daquele que ocupou aquele lugar por tanto tempo. 
E os restos mortais daquele que deixou de estar perto de tanta gente? Será que vai rolar uma reciclagem… Será que um dia poderá voltar ao seu lugar, ou simplesmente o jogarão para cima de um caminhão com destino algum terreno baldio ou deixarão em algum lugar até o tempo e a ferrugem consumir aquele belo e novo poste metálico de luz? Para onde irão seus restos, sinceramente não sei, mas a única certeza que tenho é que por alguns metros, a escuridão vai reinar no lugar de onde aquele poste foi brutalmente arrancado e quem sabe alguém se lembre dele e se pergunte: cadê o poste que estava aqui?

Compartilhe agora mesmo

Deixe um comentário