Crônica: Nada melhor do que novos ciclos para novos caminhos

O tempo está passando cada vez mais rápido, parece que foi ontem que guardei minha fantasia de Cinderela do carnaval passado. Brincadeira… Mas como todo mundo diz que toda brincadeira tem um fundo de verdade – neste caso não é ter uma fantasia de Cinderela, ok? – mas sim pelo fato dos dias estarem passando rápidos demais.
Já pararam para pensar nisso? Parece que foi ontem que estávamos comemorando um natal mais iluminado, mais esperançoso e não este que acabamos de comemorar. Tão fraquinho em termos de luzes, espirito natalino e até mesmo em vendas. Será que a data perderá a correlação com o capitalismo devido à crise que vem afetado a todas as classes?
Se perder, será uma boa. Está na hora de deixarmos de pensar um pouco com nossas carteiras e pensar mais naquilo que podemos levar para o outro lado, ou melhor, depois que partirmos desta para uma melhor. Passamos grande parte de nosso tempo correndo atrás de sustento para nossas famílias ou pagar nossas contas, que nem percebemos onde estamos investindo o tempo que nos foi dado.
Talvez esse fato seja devido a tecnologia, isso mesmo. Pode parecer um absurdo, mas a velocidade da informação torna o mundo ainda mais “banda larga”, tudo muito rápido, quase imediato, bem diferente de como as coisas funcionavam quando a famosa placa fax-modem encantava os ouvidos dos apaixonados pela internet ao aguardarem finalmente a conexão de bytes e não de megabytes como nos dias de hoje.
Às vezes sinto falta desse tempo. Havia algo de romântico, uma expectativa no momento da conexão, se iriamos entrar ou se teríamos que tentar novamente. Isso também parece que foi ontem, como os meus dezoito anos… Também me olho para trás de meus passos e me pergunto o que fiz de minha vida… Talvez uma série de pessoas façam a mesma pergunta, a verdade é que simplesmente fomos vivendo, na loucura dos dias que passam voando levando para longe segundos importantes que não podemos deixar para depois.
Por isso, nesse novo ciclo que se fecha. Nada melhor do que deixar velhas feridas para trás, pensar que o amanhã pode ser muito melhor do que o ontem, afinal de contas, estamos vivos e por aqui ainda, o que, nos dias de hoje, é um milagre. Muitos lutam com todas as forças que tem para prover suas casas, verdadeiros guerreiros e guerreiras que levantam antes mesmo do sol para garantir alimento e um pouco de conforto para os seus.
Vamos deixar as antigas feridas para trás, pensar que os dias correm rápido demais para perdermos nosso tempo com coisas que não nos trará nada de bom. Precisamos olhar mais ao nosso redor, aproveitar o passeio por esse lindo plano. Isso, lindo mesmo. Sei que passamos por grandes problemas e necessidades, mas todos nós podemos mudar nossas histórias, tudo depende da maneira que sentamos para escrevê-la.
Sei que algumas histórias de vida são parecidas com contos de terror, mesmo assim, alguns contos de terror podem ter finais felizes, podem revelar pessoas que precisam passar por algumas dificuldades para perceberem a força que levam em seus corações. Por isso que sempre digo, sorrir é muito bom, mas são as lágrimas e as dificuldades que nos tornam dignos e valorizam cada vez mais esses momentos.
Por isso, meus queridos, vamos pegar tudo de ruim que passamos, todas as desavenças que até esquecemos o por que a contraímos e deixa-las para trás. Pra que começar um novo ano trazendo nas costas os restos podres de um ano que finaliza um ciclo? Precisamos olhar para a frente e lembrar que não temos muito tempo para perdermos com coisas que não nos levarão para frente, pelo contrário, só nos ancorarão a um passado que não nos enriquecerá em absolutamente nada. Lembrem-se: o tempo passa rápido demais para perdermos a preciosidade dos minutos de vida regando sementes de angustia e discórdia. Bom ano para todos.

Deixe um comentário