Crônica para meu pai e para os outros pais

Compartilhe agora mesmo

Mais um dia dos pais vem se aproximando no horizonte, sinto a sombra gelada da saudade lambendo com línguas de fogo a minha tranquilidade, fazer o que… Quem somos nós para questionar os caminhos da vida, caminhos estes que tomamos ou que nos deixamos nos levar por alguma razão que até hoje não compreendemos.

Quem é o culpado? Sinceramente, não sei se existe alguém para culpar e, mais sinceramente ainda, acho que não é o tempo de jogarmos a culpa para cima de um e de outro, poderíamos usar essa gana de uma maneira mais positiva, por que não tentar resgatar o tempo que perdemos? Preencher todas as lacunas que ficaram abertas por razões que desconhecemos…

Seria fantástico poder consertar tudo aquilo que quebramos ou deixamos quebrar enquanto dividíamos o mesmo palco, talvez a saudade fosse menos dolorosa hoje em dia, teríamos usado nosso tempo com coisas boas, claro, haveria algumas ruins, como sempre deve existir, como melhorar sem termos uma razão para melhorar, concorda?

Pois é, algo que não temos mais… Você foi para muito longe, um lugar que não posso e não quero ir neste momento, mas um dia, quem sabe, poderemos conversar sobre todas as falhas que tivemos, pedirei desculpas de meus erros e talvez, você pedirá também por ter me dito coisas tão terríveis, mas, tais detalhes não vem ao caso neste momento, justamente por não termos mais nenhum momento.

O que me resta além de lembranças? De momentos que poderíamos ter feito tudo de maneira diferente e não fizemos. Não tive tempo suficiente para fazer nada que tivesse orgulho, parece incrível, mas todo filho deseja que seu pai tenha orgulho, que diga de boca cheia: aquele é meu filho… O senhor dizia isso para seus amigos, mas era em um momento que não contava por estar com seus amigos no bar da esquina.

Queria que tivesse orgulho por eu existir, pelos dons que tinha e por tudo que poderia fazer, mas o senhor olhou mais para meus defeitos e esqueceu de olhar para minha boa vontade, para as coisas boas que poderia fazer, acabei acreditando em suas palavras e aos poucos fui me deixando levar, como uma âncora que nos prende a determinado ponto em um imenso mar. Fui errado? Sim, claro que fui, mas me partia o coração não ter nada digno de ser elogiado.

Enfim, acabei te julgando por alguns erros e acabei vivenciando os mesmos erros, talvez tenha sido uma maneira de aprender que determinadas ações fazemos por uma força maior que desconhecemos. Aprendi algumas coisas, coisas extremamente importantes, para mim e para as outras pessoas, aprendi que temos que olhar sempre o lado positivo, que não podemos alimentar a derrota, mas sim a esperança de tentar de novo e seguir em frente.

Hoje, não desmereço ninguém, tento ver o que a pessoa tem de melhor e lembra-la que, quedas acontecem para aprendermos a nos levantar e continuar, a vida é assim, fazer o que… Não dizem que estamos em uma imensa escola? Pois é, erros acontecem, mas errar é humano e não aprender com eles é burrice, estamos em um constante aprendizado e, mesmo achando que não aprendeu nada, se parar para refletir, verá que não é o mesmo que foi ontem.

Sei que não sou um exemplo de ser seguido, pelo contrário, talvez seja um exemplo do que não deve ser seguido, entretanto, meus erros me ensinaram de alguma maneira e, acredito ter um papel para cumprir neste plano, afinal de contas, nasci com o dom de ser amigo das palavras, de conseguir transformar meus sentimentos, erros e alegrias em palavras encaixadas uma após a outra.
Onde tudo isso começou? Sinceramente não sei, mas estou passando por aqui para lembrar a todos de olharem para o lado positivo das pessoas, de não destacar as falhas, mas sim a vontade de fazer as coisas do jeito certo. Para lembrar que, por mais vergonha que tenha, é melhor se esconder em um abraço do que correr deste abraço, um dia poderá perceber que perdeu muitas oportunidades.

De lembrar que, pai não é somente aquele que colocou no mundo, pelo contrário, mas sim aquele que sempre esteve ao lado, sempre pronto para ajudar em qualquer momento ou necessidade, seja ele de sangue ou não, não importa, alguns “pais de coração” são mais pais do que os próprios progenitores, afinal de contas, dinheiro enche barriga, porém, depois de todas as substâncias e proteínas filtradas pelo organismo, é jogado fora.

Com o amor as coisas são diferentes, preenche nossas almas e nos ensina a sermos humanos melhores, por isso é que dizem, pai não é aquele que põe no mundo, mas sim aquele que cria, que está sempre por perto e pronto para ajudar naquilo que for preciso, ele sabe que não poderá tomar o lugar do pai biológico, no entanto, em alguns casos, sabe que o pai biológico não faz nenhuma falta, justamente por ele estar sempre por perto enquanto o outro, sempre está longe.

Por isso, façamos um dia dos pais sem rótulos, sem definições. Não precisa ter o mesmo DNA para ser amado, querido e protegido. Também não precisa ter o mesmo DNA para agradecer a alguém que assumiu um posto tão importante em sua vida, que está por perto em todos os momentos de sua vida. Tudo que precisamos é aproveitar o tempo que temos para dizer o quanto amamos e o quanto são importantes em nossas vidas.

E nada melhor do que fazer isso neste exato momento, não devemos esperar um determinado dia para dizer o quanto alguém é especial para nós, o quanto somos gratos por sua existência em nossas vidas, não sabemos até quando estaremos por aqui, e é exatamente por isso, que devemos rasgar a máscara da vergonha e da timidez e dizer o que sentimos para quem está por perto, sem medo de ser feliz, sem olhar para os defeitos, mas para as qualidades que é o que verdadeiramente nos define.


Compartilhe agora mesmo

Deixe um comentário