Se você veio até aqui pensando que estava prestes a ler uma das minhas primeiras aventuras sexuais. Sinto em dizer, você se decepcionará, quer dizer… Se avaliarmos por um determinado ponto mais frio, tipo alguns homens por aí, podemos dizer que… estamos no caminho… na reta… só cabecear e meter pra dentro… mas, brincadeiras à parte.

Mês passado foi o outubro rosa, um mês dedicado para chamar atenção das mulheres para os cuidados com câncer de mama. Algumas mulheres fazem o autodiagnostico averiguando os seios em busca de alguma anormalidade, mesmo assim, uma avaliação médica não deve ser dispensada. Isso em caso de dúvidas é claro.

Agora inicia o novembro azul, mês dedicado para chamar atenção dos homens que passaram dos quarenta a fazerem o exame de próstata. Um exame extremamente importante, ainda mais se o indivíduo tiver histórico da doença na família. E, caso for a sua situação, nada melhor do que colocar um sorriso nos lábios e partir para a piada.

É muito mais fácil encarar o exame com humor do que encarar uma doença tão terrível quanto essa nos devorando e causando altas dores. Estou para gravar um vídeo sobre algumas formas de visitar seu proctologista de uma maneira menos traumática. Maneiras de tornar a situação menos constrangedora. Se estiver interessado, aguarde.

E para provar isso, nada melhor do que relatar algo que aconteceu comigo. Mudou minha vida e hoje vou no proctologista todos os dias, isso sem mencionar que tenho ele no whastapp e para não criar um clima constrangedor, nos aceitamos no Facebook e vivemos curtindo nossas publicações, não revelarei o nome dele para não correr risco de perde-lo, ok? Rs

Infelizmente, sinto uma dor horrível lá nos fundos. É uma dor tão intensa e forte que chegam a fazer as pernas bambearem. Não ataca sempre, mas quando ataca… Para você ter uma ideia melhor, vou dar um exemplo: sou muito bom de cama, deito, durmo e nada me acorda, se rolar um apocalipse de noite, provavelmente morro dormindo. A única coisa que me acorda é essa dor maledita.

Como tenho caso de problemas nesta região na família, não queria correr o risco e fui visitar um médico. Expliquei a dor, seus efeitos e ainda dei uma dramatizada dizendo que parecia que estava prestes a dar à luz. Depois de me ouvir atentamente, o médico me tranquilizou informando que aquilo era um problema comum: cãibra retal (que lugar para se ter isso não?). Explicou tudo, que afetava as mulheres, mas alguns homens tinham também, algo relacionado com estresse e essas coisas.

Fiquei aliviado… Sério! Achava que poderia ser algum problema com minha próstata… Quando ele me explicou tudo, até relaxei o forever… Até então ele estava sentado, bonitinho, com as mãos unidas sobre a mesa, depois que explicou tudo, se levantou e colocou as luvas, até aí, nem me toquei no que estava prestes a acontecer, mas subitamente, suas palavras sem qualquer sentimento me lançaram em um silêncio: vamos examinar isso aí, abaixa a calça e as cuecas até o joelho…

Hein?! Pensei comigo. Não estava acreditando no que estava prestes a acontecer. Ele repetiu a ordem, olhei para os dedos do médico e constatei que eram finos… Não gracinha, não fiquei decepcionado. Como não tinha outra escolha, levantei, baixei as calças pensando na caminhada que havia dado até ali, (fui da estação de Metro Brigadeiro até a estação Vila Mariana andando) pensando na cueca que vestira pela manhã, pensando que havia ido ao banheiro… Pensando que aquele médico seria o primeiro de minha vida… ui

Deitei na cama e fiz conforme pedira, encostei os joelhos na parede, o queixo no peito. Senti uma de suas mãos na Lin… Lindona nádega direita e logo em seguida ele a separando de sua amiga gêmea. Depois ele espirrou um treco molhado ali e “tuc”. Juro que nunca tinha reparado tanto em uma parede branca como aquela. Pior que ele ficou mexendo de um lado para o outro, quase perguntei se ele estava curtindo ou procurando alguma coisa que perdeu ali.

Depois de alguns minutos estranhos, pediu para me vestir, o que fiz o mais rápido que podia e logo estava sentado em sua frente, com as mãos unidas entre as pernas e com aquele olhar constrangido por algo tão mecânico e sem sentimentos. Mas, ele não pediu meu telefone, nem meu whatsapp e muito menos me adicionou no Facebook, disse que estava tudo bem e logo em seguida me dispensou como as luvas que usara em mim… Super mecânico mesmo… Nem Optimus Prime que é uma máquina poderia ser tão fria…

Isso realmente aconteceu e foi uma situação que não esperava, mas necessária. Brinco com o assunto, mas é melhor levar uma dedada do que ficar deitando em uma mesa de cirurgia com vários médicos cutucando o fiofox para remover algo que pode levar qualquer homem a óbito. Por isso, se você passou dos quarenta e tem caso na família, saiba que você precisa ir por necessidade, agora, se você não tem casos na família, dá para esperar até os quarenta e cinco.

E, esse problema pode ser considerado até uma justiça divina, sabia? Sabe por que? Alguns homens têm tara por isso e acabam até enchendo o saco da parceira para fazer o dito sexo anal… Alguns até reclamam das investidas e das negativas, lembrem-se disso… mais cedo ou mais tarde, chegará a sua vez e vai entender aquele velho ditado: pimenta no cu dos outros é refresco. Cuidem da saúde e levem o orgulho com bom humor, é melhor rir hoje para não chorar amanhã.