Eis que os olhos se abrem para o milagre
Mais um dia entre tantos outros para viver
Um caminho às vezes temperado por vinagre
Tendo como objetivo simplesmente correr…
Correr pelos caminhos que brotam como flores
E que as vezes exala sabores de sal de seu olhar
Mas, será que importa sentir apenas as dores?
Se não é impossível algo bom ver desabrochar?
E qual seria o sentido de caminhar e existir?
Sendo que às vezes não entendemos o acontecer
E na maioria, não vemos razão nos próprios passos
Pois o tempo e os sonhos, parecem sempre ruir
E muitas vezes não percebemos o que é viver
Talvez depois de morrer, veremos que nada é acaso.