Game of Thrones não é apenas uma das maiores e mais premiadas séries da história da televisão, como também, uma das mais polêmicas por abordar temas bem controversos, como por exemplo, o relacionamento incestuoso entre irmão e irmã, tudo bem que nenhum dos filhos nasceram com problemas genéticos, mas talvez esse fato explique a ruindade do rei Joffrey.

O momento da conversa polêmica entre Sandor e Sansa

Além desse fato, Game of Thrones, pelo menos nas primeiras temporadas, despertava uma determinada aversão em uma grande parte do público que o chamava de: pornô medieval. E se você prestar atenção, perceberá que essa má fama, começou por causa das primeiras temporadas da série.

Particularmente, acredito que foi algo proposital, afinal de contas, ninguém sabia os verdadeiros resultados que a série traria e nada mais adequado que apostar no sexo para chamar atenção e garantir uma boa audiência. Pelo menos no caso de Game of Thrones, não eram apenas mulheres nuas, nada mais justo com o público feminino.

Game of Thrones e o desenvolvimento das personagens

A temporada final terá apenas seis capítulos, um número bem inferior comparado às temporadas anteriores e essa redução, mesmo contando com o aumento de duração de cada episódio, desperta apreensão nos fãs em relação à conclusão de todas as tramas e o destino de alguns personagens que acompanhamos ao longo dos episódios.

Uma dessas preocupações tem relação com o novo desenvolvimento de Daenerys Targaryen, que sempre se apresentou como: a quebradora de correntes, mãe dos dragões e etc. No início da série, Daenerys foi praticamente moeda de troca para conseguir um exército Dothraki. E, naquela época, Daenerys era uma garota ingênua que aprendeu a duras penas que precisava ser forte para conseguir o que queria.

Os casais de Game of Thrones

Isso é algo que acho muito bacana nas séries. Ela nos permite, não apenas nos entreter com os acontecimentos, mas acompanharmos o desenvolvimento e crescimento das personagens. Se compararmos Daenerys da primeira temporada com a da oitava, perceberemos uma evolução gigantesca. Tudo bem que muitos fãs se decepcionaram com o que ela fez no penúltimo episódio da temporada final a Porto Real, mas ainda falta um episódio para vermos qual será a razão de tudo, quer dizer, se existir razão é claro.

Outro personagem que cresceu muito no decorrer dos episódios foi Sandor Clegane, ou como é mais conhecido: Cão ou Perdigueiro. Nos primeiros episódios começamos a nos antipatizar com ele devido a sua estupidez e arrogância, porém, toda aquela braveza e boca suja era para esconder seu lado humano. Foi ele que estava ao lado de Sansa quando a garota ficou desnorteada com a morte do pai e foi ele, que ajudou Arya.

E falando em Sansa… Muitos fãs, por causa das primeiras temporadas a apelidaram de “Sonsa” devido as importâncias de sua vida juvenil. Sansa cresceu e muito no decorrer dos episódios, bom, a garota também comeu o pão que o diabo de Westeros pisou. Antes de falarmos um pouco mais, queria apenas destacar que, no começo da série, estava claro o que Sansa esperava de sua vida: ser uma lady ou rainha e viver ao lado do marido e gerar novos herdeiros ao trono.

Até mesmo os capítulos dos livros contados pela visão de Sansa, eram os mais chatos e morosos de toda a saga. Mas, com o decorrer dos episódios, Sansa foi desabrochando e se transformando. E como estamos falando em Sansa, no penúltimo episódio, seu dialogo com Cão despertou revolta em muitas mulheres. Nesta conversa polêmica, Sansa diz a Sandor que se não fosse tudo que passou com Mindinho, Joffrey e Ramsay Bolton, ela continuaria sendo um passarinha.

Sansa sofreu na mão de Joffrey, sofreu na mão de Mindinho, mas foi nas mãos de Ramsay Bolton que a garota se arrependeu do dia que nasceu, chegou até mesmo a ser estuprada pelo psicopata nortenho. E, provavelmente foi por causa dessa violação e pelo fato de ter afirmado que se não tivesse passado por tudo, ainda seria aquela passarinha indefesa que a galera do mundo inteiro se irritou profundamente.

Game of Thrones e a polêmica sobre estupro

Particularmente, quando ouvi a declaração da personagem, não me lembrei do estupro, mas sim de tudo que ela sofreu. Lembrei-me dela nas mãos de Joffrey que a humilhou em todas as oportunidades que teve, pensei nela nas jogadas de Mindinho que era apaixonado por sua mãe. E por último, o maior de todos os pesadelos, o tempo que passou com Ramsay.

Se formos analisar a vida de Sansa desde o primeiro episódio da temporada ou das primeiras palavras de seus capítulos nos livros, encontraremos uma garota comum de um reino que sonha com um príncipe encantado, que não tem nada mais na cabeça do que, vestidos, entre outras coisas, entretanto, no decorrer da série e devido ao sofrimento, Sansa foi amadurecendo e se tornando uma mulher forte e de decisão.

E antes que alguém me crucifique pelas palavras, saiba que não concordo com tal ato, no entanto, se levarmos em consideração que a série, apesar de ser atemporal, indica que todo enredo se passa no período medieval, mesmo com palavrões tão contemporâneos, aliás, às vezes Game of Thrones parece uma série produzida pela Netflix pela quantidade de palavrões. Já reparou que as produções da Netflix são recheados de palavrões?

Mas, voltando ao assunto… Esse fato sexual ficou subentendido já que durante a conversa, tanto em português quanto a original, em nenhum momento foi mencionado a palavra “estupro”, claro que, ao lembrar de seu passado, o semblante de Sansa mudou, mas ela tem sorrido cada vez menos nos episódios derradeiros. Sansa cresceu e se tornou uma mulher forte, bem diferente daquela garotinha que saiu do Norte sonhando em casar com um príncipe herdeiro.

Game of Thrones e a filosofia pop

Hoje em dia, muitos assuntos fazem parte do universo geek, até mesmo alguns filósofos controversos, como por exemplo, Nietzsche, que abandonou a todos para viver sozinho em uma caverna, até mesmo seu melhor amigo, Wagner, depois que este ficou com a sua pretendida. Atualmente é muito comum encontrar uma ou mais frases deste filósofo tão importante, entre elas: “o que não nos mata, fortalece”.

E isso não deixa de ser uma verdade. Nossas quedas e dificuldades nos tornam mais fortes, mais preparados para os próximos desafios. Particularmente, não acredito que o mundo é feito de acasos, mas sim de uma série de escolhas que nos levam para um determinado final diferente, algo como um jogo de RPG com diversas possibilidades de finais.

Não estou dizendo com tal afirmação que achei bonito o que a Sansa disse para Sandor nas entrelinhas, por que, naquele momento, Sansa estava recuperada, havia transformado toda aquela dor em frustração em algo realmente útil, em algo que a tornaria a mulher ideal para sentar ao lado de um rei, mas não para ser ordenada, mas para fazer parte de todas as decisões. O que estou querendo dizer é que não foi o estupro que a tornou mais forte, na verdade, tal violência acaba com qualquer mulher, no entanto, Sansa buscou forças em seu íntimo para não se deixar abater naquele momento.

E, particularmente, em minha opinião, as mulheres são extremamente fortes e resistentes e por essa razão, gostaria muito de saber quem inventou essa história de sexo frágil… Sinceramente? Um ser que tem a capacidade de dar a luz, com tolerância a dor que deixaria qualquer homem de joelhos e ainda, trazendo para nosso período digital, que trabalha, cuida da casa, filhos e ainda, de vez em quando inventa de ficar cheirosa e arrumada para dar uma namorada básica… Para mim, isso não tem nada a ver com sexo frágil.

Game of Thrones e minhas apostas para o final da série

Finalmente o último episódio está chegando, quer dizer, não sei se fico ansioso ou receoso, mas, para falar a verdade, existem pouquíssimas possibilidades de a série terminar de uma maneira grandiosa devido a quantidade de episódios. Com certeza, muitas coisas que poderiam acontecer para tornar o final um grande espetáculo, fora cortado sem dó nem pena, mas, é o que tem para hoje e não podemos fazer nada para mudar isso.

Acredito que, depois que Daenerys fez a Porto Real, os sobreviventes se levantarão contra ela e os exércitos de Westeros se unirão a Jon Snow para um último combate contra o exército de Dothraki e Imaculados para colocar no trono de ferro o rei legítimo. E quando essa batalha chegar ao fim, provavelmente, levando em consideração as características de Jon Snow, acredito que acabará com esse negócio de rei dos Sete Reinos e proclamará que cada região terá seu próprio rei.

Quanto ao dragão de Daenerys… Como temos o Bran que domina os animais, provavelmente ele dará um jeito de possuir o dragão e realizar o que ele desejar para ajudar o irmão. E falando em ajuda, talvez ainda veremos o povo livre se juntando a causa de Jon por causa das cartas que Veris conseguiu enviar para destinos que não sabemos.

Por isso, acredito que a batalha derradeira pelo trono de ferro ainda está sendo organizada pelos sobreviventes e que no final das contas, por tanto sangue derramado por esse trono de ferro, ele acabará sendo encarado como uma maldição e será destruído… E por ter sido confeccionado por espadas de guerreiros fundidas pelo fogo de um dragão, nada mais correto que outro dragão acabe com ele. A mesma premissa da destruição do anel de poder do senhor do escuro que foi criado na montanha da perdição e que só poderia ser destruído onde fora criado.

Agora falta pouco… vamos ver o que vai acontecer!

Curte histórias envolventes que te prendem do começo ao fim? Conheça a Casa de Ossos, peça o seu por email: adriano.villa@yahoo.com.br