Queria saber quem caracterizou essas expressões como palavrão

Compartilhe agora mesmo

Lembro de certa vez durante a aula de física ter mandado um cara que estava me enchendo o saco tomar no cu. Pra que, a professora, uma mulher afrodescendente, de ossos grandes, magra e olhar severo vira para mim no meu de toda a turma e diz: Tomar no cu é tomar no ânus e boceta é uma bolsinha de moedas. Essa última ela disse de brinde, pois não é uma das palavras que mais profiro, particularmente, é uma daquelas palavras que deve ser pronunciada em determinados momentos.
Mas, não vim aqui para falar sobre minha professora, apenas lembrei dela e como o assunto tem a ver, nada melhor do que iniciar com uma memória. Bom, palavrão, geralmente os palavrões são utilizados para mostrar o quanto estamos indignados, é uma palavra que sai quando a última gota d’água vira o balde em cima do primeiro infeliz que está ao lado, não é verdade? Pois é, então, na minha opinião, os palavrões deveriam ser revisitados e reinventados, pelo simples fato de indicarem uma determinada situação extremamente estressante. Você vai me entender, continue comigo.
Costumo ouvir muita gente falando buceta pra cá, buceta pra lá e, confesso, não é uma palavra muito bacana de se ouvir fora de uma intimidade que está pegando fogo… Prefiro outros nomes quando quero mostrar minha indignação ou frustração diante de algo, mas, tem pessoas que pegam pesado e saem distribuindo bucetas aos quatro ventos. Mas, na minha visão, buceta não é algo ruim, concorda? Bom, pelo menos os homens concordarão comigo e também, algumas mulheres, vamos ser francos, estamos em 2017 e vivemos a liberdade de gêneros, não é verdade? 
Todos os homens arrastariam um caminhão por uma buceta, alguns chegam a pernoitar debaixo da janela da moça durante semanas para conquistar a perseguida. Outra coisa, a buceta é chamada de perseguida, não é perseguida pela polícia ou pela Swat, é perseguida por homens e algumas mulheres e, como uma coisa que é perseguida pode ser ruim? Concorda? E se não é ruim, por que dizer buceta na hora que algo dá errado? Pô, não podemos esquecer que a buceta é a primeira porta que muitos de nós utilizamos para entrar nesse mundo, tudo bem, alguns não passaram por essa porta, mas com certeza, entraram de alguma maneira. Não tenho razão?
Outro palavrão que costumam dizer por aí: Caralho. Pô, é o mesmo caso da buceta, algumas mulheres e alguns homens se amarram num caralho, sem o caralho também não existiria vida, afinal de contas, é ele o dito cujo que joga a sementinha lá no jardim da mamãe. Se não fosse o caralho o mundo não seria o que é hoje. Tudo bem que o bicho é feio pra dedeu, aquele negócio pendurado em cima de duas bolas peludas… (argh, imaginação do inferno… Que a santa perseguida me proteja), mas as mulheres e alguns homens se divertem muito com ele, não é verdade? E se sentem prazer com isso, por que utilizar a palavra como um palavrão?
Outra coisa que escuto muito: vai tomar no cu… Chega a ser hilário, pelo menos na minha cabeça, sempre imagino alguém se fazendo de caneca e enchendo o boga de qualquer coisa para ser tomado. E tem outra, tem gente que realmente gosta de tomar no cu e outros que, como diz o velho ditado, quem não tem cão caça com gato, utiliza apenas esse endereço para suas particularidades. E, mais uma vez caímos naquele impasse, se para alguns é bom, por que caracterizaram essa expressão como um palavrão? Algumas pessoas ao serem mandadas para esse lugar poderiam até responder: só se for agora, lindo. Não é verdade? 
E finalmente o: vai pra puta que te pariu. Claro, ninguém costuma falar o “te”, mas já parou para pensar no peso que ele dá para esse palavrão? Diz ai você para ver a diferença… Viu… O “te” dá ares de uma ordem solene, imediatista e ao mesmo tempo, cordial… É sério, repita novamente e preste atenção nas palavras para você ver. Estou certo? Esse palavrão, ainda mais no tempo de escola era a gota d’água para cair na porrada com alguém, afinal de contas, todos nós defendemos nossas mães quando são chamadas de putas, não é mesmo? Hoje em dia, falamos vai pra puta que te pariu no meio de uma brincadeira, no trânsito ou até mesmo nos coletivos, às vezes falamos o irmão mais velho dessa palavra, o mais direto e mais famoso, filho da puta, um atalho bem mais curto se comparado com seu irmão mais novo.
Esses dois últimos são os mais sem sentido, nenhuma mãe é puta e, caso seja, o que que tem? Cada um trabalha da maneira que pode, não é verdade? Não temos o direito de difamar ou menosprezar a profissão de qualquer pessoa. De repente é o único jeito que a mulher encontra para criar seus filhos ou fazer sua faculdade e vamos utilizar um palavrão para denegrir um esforço tão grande ou você acha que é fácil servir a todo tipo de homem que pague por alguns minutos de prazer? Já ficou perto de um bêbado? O suor que a pele libera é puro álcool rançoso… Tem que precisar muito para partir para algo assim… 
Mas, algumas realmente são, provavelmente a minoria, mas a maioria são nossas mães, mulheres que acordam cedo para fazer nosso café, para nos arrumar para a escola, que nos educam, que nos alimentam, que estão sempre ao nosso lado em qualquer situação e por isso, chamar uma mulher batalhadora de puta é uma ofensa, não é verdade? Ela já se fode tanto na vida e ainda vem um corno mandar o filho dela pra puta que te partiu? É muito desmerecimento mesmo, pra ganhar de uma mãe nesse quesito, somente os professores que só se fodem na mão do governo.
Aliás, outra palavra que foi marginalizada, que ganhou sentido dubio, foder. Todos nós gostamos de foder uns com os outros, além de muito gostoso é ótimo para a saúde e ainda eleva o humor de uma maneira estelar e, mesmo assim, é utilizado como palavrão… Poxa…. Porque não dizem então: vá fazer amor!?  Não é mesmo? Na minha parca opinião, as pessoas utilizam essas palavras devido ao seu grande poder e força, palavras que deveriam ser utilizadas entre quatro paredes para deixar as coisas ainda mais ardentes, e não para serem proferidas como se fossem algo ruim. Concorda ou discorda? Seja franco. Caso não acredite na força dessas palavras, profira-as no momento do sexo para ver como as coisas esquentam…

Compartilhe agora mesmo

Deixe um comentário