Soldado ao amanhecer

Sempre digo que é preciso viver a vida da melhor maneira possível, guardar os sentimentos que valem a pena e descartar aqueles que não nos trazem nada de bom. Hoje estou aqui, sentado, escrevendo, pensando nas próximas linhas, mas amanhã… só a Deus pertence.

Por isso, não basta agradecer todos os momentos, mas também, saber como aproveitá-los da melhor maneira possível. Não sabemos quando a cortina de nosso espetáculo terrestre se fechará para sempre. E o pior é quando esse momento chega sem qualquer aviso, sem qualquer sinal ou até mesmo razão… A vida simplesmente chega ao fim, sem mais nem menos… Infelizmente, a morte pode ser extremamente discreta.

Dias atrás estive divagando sobre a morte e a dor que assola nosso coração, quando somos forçados a nos despedir de alguém que amamos e que não estávamos preparados para perder. Infelizmente, nunca estamos preparando para algo assim, mesmo quando temos algum parente ou pessoa que amamos entravado em uma cama com todos os médicos desenganando, ou pior, nos informando que aquele prazo de validade pode expirar a qualquer momento. Mesmo assim, quando chega o momento derradeiro, percebemos que não estávamos preparados.

Em meus pensamentos, acabei chegando à conclusão que somos seres egoístas em determinados pontos e, de uma maneira inconsciente. Vivemos em um mundo de provações, um mundo que temos que lutar para conseguir viver de alguma maneira “menos pior possível” tendo que lidar e conviver com a imprevisibilidade e fragilidade de nossa existência.

Quando alguém parte, choramos, sentimos aquele aperto no coração, mas será que realmente é um aperto de dor ou lá nas profundezas escuras de nossas mentes não seja uma espécie de “inveja” pelo fato da pessoa estar liberta deste mundo? Já parou para pensar nisso? Uma grande parte das pessoas acreditam que existe muito mais além dessa existência. Infelizmente, ninguém voltou para nos contar sobre como é do outro lado. De duas uma: ou é um lugar muito bom que deve ser mantido em segredo ou não existe absolutamente nada. Você acredita em que?

Enquanto pensamos nisso, nada mais indicado que olharmos para o mundo que estamos inseridos, mesmo sendo difícil de lidar, com todas as dificuldades e a pouca alegria que nos brinda em determinadas situações. A vida, para algumas pessoas parece muito mais complicada do que para outras. Mas, são parâmetros e exemplos de decisões, infelizmente, algumas não são tomadas apenas por nós, mas sim, por aqueles que vieram antes de nós e acabamos herdando uma carga negativa que acabamos nos acostumando e achando comum.

Enfim, por que tudo isso? Por que um fato inesperado aconteceu dias atrás, exatamente no dia 08/06/2019, uma data que ficará marcada para sempre na história da música. E o mais intrigante é que, seis dias antes do fato, André Matos estava abrindo o show para o Avantasia no Espaço das Américas. Quem assistiu o show, não imaginava que estavam assistindo a última aparição de um dos grandes ícones do metal nacional, nem mesmo o próprio André sabia, afinal de contas, não temos como prever isso.

Consegue ver como as coisas são? Um rapaz de 47 anos estava cantando em uma festa com seus amigos em um domingo e no sábado seguinte, simplesmente faleceu… André Matos não estava doente, não fumava, provavelmente não bebia pelo fato de cuidar de sua voz, talvez uma pessoa saudável. Memso assim, sem qualquer aviso, se curvou para o público terreno e foi fazer parte do time de músicos talentosos que estão no céu.

Outro fato triste e inesperado aconteceu ainda mais próximo de minha realidade, tudo bem que tive o prazer de trabalhar e conhecer o André Matos pessoalmente quando estávamos fazendo as fotos de divulgação do projeto Hamlet, mas nosso contato foi breve. O outro acontecimento, foi alguém que convivia comigo, que conhecia, que me chamava para tomar cerveja na padaria da esquina.

Há muitos anos atrás, fui contratado para colocar um sistema de contabilidade para funcionar em uma empresa no Rio Pequeno, na época morava na Cachoeirinha e era uma aventura chegar ao local de trabalho. Tanto é que o dono da empresa prometeu me deixar com o carro da empresa e aumentar meu salário quando integrasse todo sistema. Seu nome, Toninho, uma pessoa jovem, com seus quarenta e poucos anos.

Depois de três meses lutando para integrar todos departamentos, finalmente conseguira. Agora era só mostrar meu feito e teria tudo que havia me prometido, mas, o destino não quis assim. Toninho viajou em um final de semana e, ao chegar em sua casa, ao colocar o pé no primeiro degrau da escada, caiu de costas e ali ficou: infarto fulminante. Seu filho acabou ficando em seu lugar e todas as promessas feitas, foram-se com ele. Acabei saindo da empresa, mas até hoje, penso sobre como a vida é cheia de surpresas. Como, de repente estamos aqui e, inesperadamente, não estamos mais.

Com André Matos, aconteceu exatamente isso, o cantor estava lá, vivendo sua vida, ainda curtindo a lembrança de um show memorável quando, inesperadamente, seu coração simplesmente decidiu parar, sem qualquer aviso, sem qualquer sinal de algo tão fatídico. No caso de André Matos que era uma pessoa pública, uma perda para o mundo da música e do mundo. E a diferença entre essas duas pessoas que tive uma certa proximidade é: Toninho, ficou na memória como um exemplo que precisamos saber viver nossas vidas; no caso do André Matos, que a música imortaliza seu criador.

Esse é o poder maravilhoso da música, ela sempre será tocada por alguém que lembrará da existência daquela pessoa. Jamais esqueceremos Renato Russo, Cazuza, Elvis Presley, Michael Jackson, Raul Seixas, Cliff Burton, Freddie Mercury, Johnny Cash, Lemmy, David Bowie, Jim Morrison, Freddie Mercury, Joey Ramone e tantos outros por causa de sua música, de sua contribuição para nossas vidas. Claro que algumas dessas pessoas ilustres acabaram procurando o fim de algum maneira, mas e aqueles que simplesmente encontraram como se encontra alguém que não se via há tanto tempo, inesperadamente?

Pois é, caro leitor, a vida é breve e precisamos aproveitar cada segundo com aquilo que realmente traz algo bom para nossa existência. Viver com magoas no coração não traz bem para ninguém. Algumas pessoas acreditam que podem até desenvolver doenças terríveis. Semana passada, acabei conhecendo uma pessoa que revelou que seu pai falecera há dois anos de câncer no pulmão, como sou fumante, perguntei na hora: fumava muito? Para minha surpresa, a pessoa respondeu que era impossível, pois não fumava. Diante de minha cara de interrogação, a pessoa se adiantou. Também não existe casos na minha família, acredito que isso se desenvolveu por que tinha uma mágoa muito grande que carregava em seu peito todo tempo.

Algumas pessoas não acreditam que sentimentos negativos podem desenvolver males reais em nossas vidas, que refletem em nosso corpo e espírito, que nos tira a leveza de um olhar mais ameno para o mundo. Algumas pessoas, devido as suas experiências, acabam achando que o mundo nada mais é que um lugar para pagar nossos pecados, quando, na verdade, é um lugar para aprendermos com nossos próprios erros e com os exemplos que ficamos sabendo de alguma maneira.

Como dizem: viver é estar em constante aprendizado e por isso, nada melhor do que deixar as mágoas de lado e pensar que, determinados fatos, aconteceram para nos ensinar uma determinada lição, para nos tornar mais fortes, mais humanos, para nos tornar pessoas melhores um dia de cada vez. E enquanto vamos vivendo, dia após dia, não esqueça de estar sempre de olho na saúde, afinal de contas, algumas doenças são silenciosas e quando se mostram presentes é para silenciar nossos lábios e pensamentos.

Abaixo um dos projetos mais audaciosos do Brasil, escrito por mim e que teve a participação de André Matos

Deixe um comentário